SEXO E AUTO DESCOBERTA

Nunca tivemos tanto acesso à informação e oportunidade de aprender sobre sexo como agora. Mesmo assim, os aspectos mais importantes da Experiência sexual são aqueles sobre os quais sabemos menos e somos mais relutantes em discutir. Por exemplo, sabemos muito sobre atos sexuais, a frequência e com quem as pessoas se engajam do que fatores que tornam esses atos compulsivos.

O maior hiato, está entre o extenso conhecimento sobre a fisiologia do sexo e nossa consciência relativamente rudimentar da psicologia do Tesão – como nossas mentes criam, intensificam ou restringem o entusiasmo sexual.

“Mais do que qualquer coisa, tesão é o que impulsiona o bom sexo. É a Faísca. É também a pedra fundamental de uma sexualidade baseada mais no prazer do que na performance. Se você quer sexo, mas excitante é mais satisfatório, invista em maior tesão. ” Bernie Zilbergeld.

Quase todos têm a consciência, que ficar com tesão é gostoso (não sendo em um momento inoportuno, blz! rsrs), mas como criar maior tesão quando sabemos tão pouco sobre ele? Por que certas pessoas e situações são infinitamente mais estimulantes que outras? Por que as preferências e padrões individuais variam tão drasticamente? Por que a maioria de nós está vinculada a situações específicas, como uma cartilha? O que nossas excitações revelam sobre quem somos e o que procuramos?

Para promover o entendimento individual, temos que ampliar o interesse para além do sexo “da cartilha” e explorar o mundo do erotismo. A paisagem erótica é muito maior, mais rica e intrincada que a fisiologia do sexo ou qualquer repertório de técnicas sexuais. Os aspectos mais mecânicos e explícitos do sexo são relativamente fáceis de serem observados e traduzidos em números e gráficos, enquanto os segredos mais compensadores e potentes do erotismo são evasivos, altamente individualistas e difíceis de quantificar. Para entender o sexo, nesse sentido, temos que cultivar toda uma nova maneira de perceber.

O que é erotismo?

Erotismo pode ser melhor entendido como um processo multifacetado através do qual nossa capacidade inata para o tesão é moldada e expressada. Nascemos sensuais e sexuais, mas nos tornamos eróticos de acordo com as mensagens que recebemos, umas mais diretas, outras mais sutis. sobre nós mesmos de quem primeiro toma conta de nós (eu não entendi essa parte), gradualmente integramos essas mensagens as nossas experiências de toque, bem como as emoções em imagens mentais pessoais,  que vêm com elas. Conforme crescemos, exigências dos ideais da nossa cultura, conjunto com as dinâmicas interpessoais de nossas famílias e comunidades, influenciam profundamente nossas respostas.

Erotismo é o processo pelo qual sexo se torna significativo. Quando atingimos a idade adulta todos já descobrimos que, por si só, sexo pode ser pouco mais que uma coleção de ímpetos e atos. Mas o erótico está intricadamente associado as nossas esperanças, expectativas, malhas e ansiedade – tudo que nos faz humanos. Enquanto sexo pode ser simples, erotismo, por sua própria natureza, e dessa riqueza nascem verdadeiras paixões. É também através da mágica de Eros que o sexo e nossa busca por proximidade emocional se entrelaçam.

“A procura e o Deleite no prazer sexual”  David Schnarch

Essa definição certamente descreve aqueles notáveis momentos quando somos capazes de expressar e celebrar nosso eu erótico sem restrições. Mas deixa de Fora o fato de que eros é energizado por todo o drama humano, incluindo impulsos ingovernáveis e lições dolorosas que ninguém – com exceção daqueles que se escondem da vida – tem possibilidade de evitar. Não é de surpreender que a mente erótica evoque imagens de devassidão tanto quanto de deleite. Por estar associado a todos os aspectos da existência, eu defino erotismo como:

A interação do despertar sexual com os desafios de viver e amar.

 

Com amor Lidia Madhuri

WhatsApp Logo WhatsApp